publicidade
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Bolsonaristas acusam de racismo críticos do novo ministro da Educação

José Matheus Santos

José Matheus Santos

Ver perfil

Publicado em 29/06/2020 às 8:28

Por Mariana Possari, da BITES, em informe ao blog

Nos últimos dias, os bolsonaristas estão mais retraídos em público. No universo digital continuam ativos. Hoje, a rede de apoio ao presidente da República na Internet passou parte do dia dedicada a defender escolha do novo ministro da Educação, Carlos Decotteli.

A estratégia era acusar de racismo quem criticasse a nomeação, especialmente agentes políticos de esquerda. Às 09h52, o perfil do chefe de redação do site Conexão Política, Davy Albuquerque, fez um post no seu perfil no Twitter com uma pergunta que passou a ser utilizada por outros bolsonaristas: “Se a esquerda xingar o novo ministro da Educação, podemos classificar como racismo?”.

O conteúdo gerou outros 627 tweets, mas o que mais propagou foi link do artigo no próprio site.

Até às 20h30, o texto havia conquistado 45 mil interações (comentários, compartilhamentos, curtidas e retuítes) no Facebook e Twitter.*

O Conexão Política tem 5 milhões de visitas por mês contra 1,8 milhão em fevereiro. O crescimento foi 177%.

O ecossistema de informação bolsonarista trabalha completamente interconectado. As redes sociais são o ponto de partida e os sites servem como repositórios naturais de indexação.

Esse foi o modelo adotado na defesa do novo ministro da Educação. No conjunto de 213 textos publicados em sites da mídia tradicional e alternativa nas últimas 24 horas sobre racismo, o artigo do Conexão alcançou o maior volume de interações.

No final do dia, o grupo se voltou para criticar a prisão do blogueiro Oswaldo Eustáquio em função do processo em andamento no STF.


Veja também