publicidade
Foto: Acervo / JC Imagem
Foto: Acervo / JC Imagem

Delegados aprovados em concurso pedem curso de formação

Victor Tavares

Victor Tavares

Ver perfil

Publicado em 15/06/2018 às 10:01

Considerando que a segurança pública tem sido uma preocupação constante dos pernambucanos e que o tema será, com certeza, bastante debatido nestas eleições, a comissão representativa dos aprovados do concurso mais recente, de 2016, para o cargo de delegado da Polícia Civil de Pernambuco está pleiteando a realização da segunda turma do curso de formação. Ao todo, 305 candidatos foram aprovados, em agosto do ano passado, dos quais 140 participaram da primeira turma, iniciada em outubro do mesmo ano.

“Para enfrentarmos a violência de hoje em nossas ruas precisamos, urgentemente, reforçar os trabalhos de inteligência e investigação policial, recompondo o efetivo da Polícia Civil. Nosso intuito não é bater de frente com o governo, muito pelo contrário, o objetivo é participar da formação e estar a postos para assumir as vagas existentes, contribuindo com a melhoria do cenário atual da segurança pública”, afirmou Thiago Farias, um dos integrantes da comissão.

Segundo ele, o grupo de aprovados e aptos que esperam participar da formação é composto por 162 pessoas. Atualmente elas são integrantes do cadastro de reserva dentro de prazo de validade do concurso, que é de dois anos.

LEIA TAMBÉM
» Aprovados em concurso, psicólogos cobram convocação do governo
» Inscrições para concurso da PM começam neste domingo
» Ministério Público arquiva investigação sobre concurso do TJPE
» Pessoas de baixa renda e doadores de medula têm isenção em concursos

O edital do certame prevê que o concurso se destina a ocupação dos cargos de delegado de Polícia Civil e formação de cadastro de reserva de aprovados, a serem convocados mediante necessidade da administração estadual. “Ou seja, é legítima a possibilidade de convocação do cadastro de reserva para o curso de formação, já que todos que estão no cadastro estão aptos e aprovados, submetidos a provas objetivas, subjetivas, teste físico, psicotécnico, exames de saúde, investigação social e fase de títulos, ressaltou Eduardo Cavalcanti, que também representa a comissão dos aprovados.

“Nosso pleito é a realização da segunda turma de formação. Queremos nos formar para estar aptos para quando o governo decidir convocar e, com o nosso ingresso a defasagem diminuir”, explica Thiago Farias.

Posição do governo

Na última quarta-feira (16), o líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado Isaltino Nascimento, recebeu a Comissão e fez um pronunciamento em suas redes sociais sobre o assunto. Segundo o parlamentar, há um interesse por parte do governador Paulo Câmara de convocar de imediato todos os que foram aprovados e estão no cadastro de reserva. “Particularmente em relação ao cargo de delegado da Polícia Civil, há uma decisão tomada, mas aguardamos um posicionamento da Procuradoria Geral do Estado se isto atinge o limite prudencial, já que existe uma bolsa para esta formação e em relação a contratação. Mas há um interesse deste governo de convocá-los”, afirmou Isaltino.


Veja também