publicidade
Foto: Roberto Soares/Alepe
Foto: Roberto Soares/Alepe

Carro roubado da mulher de Joel da Harpa é locado pela Alepe

Amanda Miranda

Amanda Miranda

Ver perfil

Publicado em 07/03/2018 às 17:00

O carro roubado da mulher do deputado estadual Joel da Harpa (Podemos) no Recife, nessa terça-feira (6), era locado pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) para o gabinete dele. A informação foi confirmada nesta quarta-feira (7) pelo parlamentar, que alegou que a esposa pegou o veículo emprestado, um Jeep Renegade, para ir a uma festa com o filho do casal porque ele está em Brasília e não havia expediente na Casa devido ao feriado estadual.

“Cada gabinete tem um carro à disposição, tanto para tarefas pessoais quanto para o gabinete”, afirmou o deputado.

LEIA TAMBÉM
» Esposa de deputado estadual tem bens e carro roubados em Boa Viagem

Joel da Harpa está em Brasília para compromissos partidários e também para acompanhar a filiação de Jair Bolsonaro ao PSL. Segundo o parlamentar, o carro estava na casa dele e a mulher, por não ter veículo particular, entrou em contato para ir de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, onde o casal mora, até a festa, em Boa Viagem, na Zona Sul. 

O caso foi denunciado na Delegacia de Boa Viagem. A Polícia Civil encontrou o veículo ainda durante a noite e devolveu à locadora, que entregou à equipe do deputado.

“Fica principalmente a questão da violência em Pernambuco. Por ser minha esposa, teve uma repercussão, mas é mais um evento de centenas de fatos que acontecem diariamente em Pernambuco”, reclamou o deputado. “O governo tenta passar mensagem de paz, mas Pernambuco está cada vez mais inseguro. Vamos continuar cobrando. Sempre falo na Assembleia sobre violência e acabei sendo vítima”, disse Joel da Harpa.

Entenda o caso

A noticia começou a circular em grupos de jornalistas nesta tarde, dando conta de que o carro da esposa de Joel da Harpa (Podemos), levado por assaltantes nesta terça-feira (6), era locado com recursos públicos pagos pela Assembleia.

A informação de que o carro é custeado com recursos públicos foi confirmada pelo próprio parlamentar, em entrevista a Aldo Vilela na rádio CBN, nesta quarta-feira (7).

Na entrevista à rádio, Joel da Harpa garantiu que, segundo as regras da Assembleia, não há ilegalidade em deixar o carro, pago com recursos públicos, para uso pessoal da esposa e filhos. Inclusive, o deputado revelou na rádio que todos os demais deputados têm este mesmo benefício à disposição.

A esposa e os filhos do parlamentar estavam saindo de um aniversário em Boa Viagem, quando o veículo foi levado por assaltantes. O próprio parlamentar não estava na ocasião, pois estava em viagem partidária em Brasília.

A esposa do deputado Joel da Harpa foi vítima de assalto em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. Os criminosos levaram o carro. O assalto aconteceu quando a esposa do deputado saía de uma festa de aniversário em um bar, na Rua Doutor João Guilherme Pontes.

Na ocasião, ela estava com dois filhos. Na Delegacia de Plantão de Boa Viagem, onde prestou uma queixa, a mulher contou que foi surpreendida pelos criminosos armados, que logo anunciaram o assalto. Ela foi obrigada a entregar os pertences e as chaves do carro.

O crime aconteceu por volta das 17 horas da terça. A polícia começou as buscas e, por volta das 22 horas do mesmo dia, o carro locado pela Assembleia foi localizado na Rua Jonas de Vasconcelos, no mesmo bairro. Os suspeitos estacionaram o carro e deixaram o veículo trancado. Até o momento, ninguém foi preso.

“Pediram para ela descer, mas a criança estava dentro do carro e começou a gritar. Quase que eles levavam meu filho, mas a minha esposa abriu a porta rapidamente e pegou a criança”, contou o deputado à reportagem, no dia.

O deputado fez questão de usar o caso da família como exemplo do crescimento da violência em Pernambuco. O deputado faz oposição ao governo do Estado e já foi líder de greves na PM.

“A gente já fala tanto nesse tema na Assembleia [Legislativa de Pernambuco] para buscarmos o combate, mas acabamos sendo vítimas também. Fica a sensação de pavor e o trauma”, criticou o deputado, sobre o assalto.


Veja também