publicidade
"Meu maior orgulho é ter passado, pelas minhas mãos puras, mais de 6 mil bebês. E óbito zero. Óbito zero!", disse Maria dos Prazeres, que segura placa de homenagem ao lado do governador Paulo Câmara e da primeira-dama Ana Luiza (Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem)

Com 6 mil partos realizados e nenhum óbito, enfermeira obstetra é novo Patrimônio Vivo de Pernambuco

Cinthya Leite

Cinthya Leite

Ver perfil

Publicado em 17/08/2017 às 15:13

Nesta quinta-feira (17), Dia Nacional do Patrimônio Histórico, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, entregou o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco aos seis novos diplomados, durante solenidade no Teatro Santa Isabel, no bairro de Santo Antônio, área central do Recife. Entre os agraciados, está a enfermeira Maria dos Prazeres, 79 anos, que já realizou mais de 6 mil partos, sem registro de ocorrência de óbito. Parteira tradicional, de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, ela começou a realizar partos aos 17 anos.

Leia também:

Doulas podem dar apoio na gestação, no parto e nos primeiros meses do bebê

A ciência confirma: colo de mãe é um santo remédio em todas as fases da vida

Medicina fetal contribui para realização do parto normal com segurança

“Na qualidade de enfermeira obstetra e parteira tradicional desse grande Estado, que é Pernambuco, eu quero agradecer por tudo o que eu estou recebendo; é porque Deus quer. O homem e a mulher sonham, e a obra se realiza. Meu maior orgulho é ter passado, pelas minhas mãos puras, mais de 6 mil bebês. E óbito zero. Óbito zero!”, afirmou Maria dos Prazeres, em agradecimento, durante a solenidade de entrega do título de Patrimônio Vivo de Pernambuco. Ativa e enérgica, ela ainda puxou uma canção tradicional, cujo refrão diz: “É amor para lá, é amor para cá/ É amor para todo lado, sem a parteira não dá”, sendo aplaudida de pé.

Em 1964, Maria dos Prazeres formou-se em enfermagem. Desde os 17 anos, realizava partos seguindo a tradição de sua mãe e sua avó. Foi a primeira presidente da Associação das Parteiras Tradicionais e Hospitalares de Jaboatão dos Guararapes, fundada em 1994. O trabalho realizado à frente da organização ajudou a formar um inventário das práticas tradicionais de obstetrícia e seu reconhecimento oficial. Em 2008, recebeu o Diploma Bertha Lutz, que premia anualmente mulheres e homens que tenham oferecido contribuição relevante à defesa dos direitos da mulher e questões do gênero no Brasil, em qualquer área de atuação.


publicidade

O governador Paulo Câmara diplomou, ao lado da primeira-dama Ana Luiza, seis novos artistas que, a partir de agora, passarão a integrar a galeria de Patrimônios Vivos de Pernambuco (Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem)

Além de Maria dos Prazeres, foram agraciados este ano Mestre Chocho (categoria música, choro; de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife), André Madureira (dança, música, teatro; do Recife), José Pimentel (artes cênicas; do Recife), Reisado Inhanhum (reisado; de Santa Maria da Boa Vista, no Sertão do Estado) e Sociedade dos Bacamarteiros do Cabo (bacamarte, cultura popular; do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife).

Eleitos pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CPPC), no último dia 13 de julho, os novos Patrimônios Vivos de Pernambuco já são fruto da atualização da Lei 12.196/2002 (Registro do Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco), que ampliou de três para seis os candidatos outorgados com o título.

*Com colaboração de GGabriel Albuquerque, repórter do Jornal do Commercio 


Veja também